Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, Música, Livros
MSN -



Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis
     Luz verdadeira
     Sindrome de Estocolmo


     
    Confissões de uma Gravidez


    MAIS UMA VEZ, ORGULHO EM SER MÃE SOLTEIRA

    Hoje ao ler um comentário, após responder o comentário, resolvi visitar o meu próprio blog. Fiquei surpresa com mais de 43 mil visitas desde a sua criação, realmente nunca pensei que minhas confissões pudessem gerar tantas visitas desde a sua criação em junho de 2007.

    Minha filha nasceu em 15 de junho de 2007, já se passaram 2 anos e 2 meses...

    No começo dessa minha nova fase de mãe-mulher não foi muito fácil, minha filha chorava muito e eu estava muito insegura, mas conforme o tempo foi passando, a vida foi seguindo o seu curso (é claro!!!! A vida não para!!!), voltei ao trabalho, voltei a sair (com outra cabeça muito melhor que a de antes!!!...rs), voltei a namorar, enfim Deus sempre dá resposta àqueles que fazem de coração e com dedicação!!!

    Hoje sou uma pessoa mais observadora, observo que independente da presença de um companheiro/pai da minha filha é possível criar um filho sem culpa de não ter ficado com o pai. Observo também que àquela "família completa" não diz respeito à presença física da figura do pai durante 24 horas e sim ao estereótipo criado por uma sociedade de um casamento feliz e perfeito entre homem e mulher e com filhos, mas que também não a pratica! Quem conhece pelo menos 3 casais com filhos que realmente se amam e compartilham a educação e o cuidado dos filhos conjuntamente????

    Não é porque a mãe está separada do pai da criança que este pai, desde que queira, possa participar da educação do seu filho de uma forma saudável. É preciso ter maturidade de ambas as partes, tanto na vida conjunta quando na separação em prol de uma criança que nasceu sem culpa.

    Não é porque a mãe está separada e o pai é ausente que não é possível criar adequadamente um filho.

    Antes de tudo é preciso AMAR este filho! É preciso dedicação (não abdicação da vida)! E acima de tudo, é preciso entender que uma VIDA dentro do ventre é um sinal de Deus de que SOMOS SIM, CAPAZES de enfrentar qualquer adversidade para criarmos uma PESSOA com valores corretos para que o FUTURO seja diferente do HOJE.

     

    Muito obrigada a todas as visitas ao meu blog, espero estar contribuindo para que todas estas mães "vejam uma luz ao fim do túnel" e para que possam encontrar a felicidade que hoje eu sinto e o orgulho que tenho em ser MÃE SOLTEIRA!!!!

     



    Escrito por grávida às 01h18
    [] [envie esta mensagem] []




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]